top of page
  • Foto do escritorAlexandre Prandini

Inoculação do estresse como arma para o síndico crescer

Para colunista, o estresse faz parte do trabalho do síndico. Ele utiliza um conceito científico para explicar que resolver os pequenos pepinos diários é uma forma de o gestor se desenvolver.



Esses dias me perguntaram em uma assembleia “Alexandre, como funciona para o síndico profissional quando surge um problema na madrugada e não contamos com sua visita no condomínio?”. A resposta já estava pronta, pois é uma questão constantemente levantada no nosso dia a dia.


A função de toda gestão profissional é se antecipar a problemas, portanto, precisamos dominar uma estratégia de antecipação de todo condomínio. Seja ela de atendimento, manutenção preventiva ou de comunicação com a massa condominial.


Um time bem orientado e que trabalhe alinhado com os desejos e definições da massa condominial e da gestão é a primeira arma para que possamos ter uma antecipação interessante do caos. 


Uma programação de manutenção alinhada à edificação, com um roteiro claro e específico de todos os contratos, controle de troca de peças e acompanhamento de sistema garante uma operação funcional e sem surpresas.


Um programa de comunicação, alinhado, constante e produtivo garante a informação aos moradores e proprietários. Um plano que demonstre uma boa evolução da gestão garante a satisfação dos moradores. 


Mesmo assim, a função de gestão profissional tem que contar com o incontrolável, o ruído, o stress da operação. E como cada um lida com isso vai definir o sucesso ou o fracasso da operação.


O que significa inoculação do estresse do síndico?


Vejo muitas pessoas dizendo que moradores são difíceis, que somos loucos ou não entendem como podemos lidar com publico do condomínio. E é daqui que quero falar sobre a inoculação do estresse.


A inoculação é a prática de adicionar um produto que contém determinado microrganismo biológico, refletindo em funções benéficas ao crescimento e desenvolvimento das plantas. 


Recentemente se observou que isso funciona organicamente com o estresse, tal processo denominado inoculação ao estresse.


Consiste na exposição a estressores brandos que promovem resiliência. Até o momento, não se sabe qual é o mecanismo pelo qual a inoculação confere resiliência, mas há um possível envolvimento dos glicocorticoides. 


Logo, estar em contato com a operação, resolvendo pequenos problemas, começa a preparar o profissional para uma gestão de crise maior. E quanto maior for sua exposição, maior será sua habilidade de entregar uma solução.


Entendendo esse processo, podemos chegar à conclusão de que não existe e nunca existirá um síndico que possa controlar tudo sem se estressar, e identificamos uma das skills necessárias para um ótimo gestor, que é a de lidar bem com estresse ou crises. 


Então, quais técnicas que temos à disposição? Quais são os profissionais sérios que vem desenvolvendo técnicas de atendimento exclusiva, considerando que temos que lidar o tempo todo com crises? 


Temos profissionais à disposição que realmente possam entregar essa verdade que tanto precisamos? Questiono muito o que vejo, pois poucos pensam em crescer o universo condominial, em se dedicar a ele, em aprimorar a competência do síndico. Poucos vem devolvendo o mercado da forma que ele merece...isso para mim e triste e retrógrado.


Nós precisamos parar de falar em números, quantidade de condomínios na carteira e olhar para o lado profissional do mercado, angariando quem realmente faz a diferença, oferecendo pensamentos novos e técnicas de evolução, e deixar de apontarmos os pontos que dificuldade. Temos que criar nossas próprias soluções como um mercado novo e independente.


O mercado é grande, com muito potencial, mas se queremos nos manter na vanguarda e evoluindo, é obrigatório entender que a função de quem trabalha com condomínio vai sempre se deparar com estresse. Como você lida com ele pode configurar seu sucesso ou fracasso.




3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page